Tópicos
    MOV.CAPITÃES / MFA - CONSPIRAÇÃO / Represálias da Hierarquia
     Períodos
Galeria Multi Média
 
 
Estado Novo.
De 1 a 3 de Junho realiza-se no Porto o « 1.º Congresso dos Combatentes do Ultramar». O poder político pretendia com este Congresso aprovar o conceito de que a solução para a Guerra Colonial era militar logo seria necessário reforçar o esforço de guerra. A contestação aos objectivos pretendidos deve ser considerado como o lançamento da conspiração que levou ao 25 de Abril.


1973 
Junho, 1 
 

 
Estado Novo - Congresso dos Combatentes.
Realizaram-se várias iniciativas no âmbito do Congresso entre elas uma Missa e um almoço de ex-combatentes.


1973 
Junho, 2 
 

 
Movimento dos Capitães. Represálias.
Ordem de embarque imediato para a Guiné para alguns oficiais do batalhão de Ataíde Banazol.


1973 
Dezembro, 20 
 

 
Movimento dos Capitães. Represálias.
Vasco Lourenço e Diniz de Almeida são mandados apresentar no Quartel-General de Lisboa. Ficam detidos. O primeiro no Regimento de Cavalaria 7 e o segundo no Batalhão de Caçadores 5.


1973 
Dezembro, 21 
 

 
Movimento dos Capitães. Represálias.
As autoridades militares ordenam a transferência do capitão Alberto Ferreira, da direcção de ex milicianos, da Academia Militar para Estremoz. É a primeira acção do governo contra a comissão de ex-milicianos.


1974 
Janeiro, 1 
 

 
Movimento dos Capitães. Represálias.
Transferência compulsiva de Alberto Ferreira, membro da comissão coordenadora dos oficiais ex-milicianos, para Estremoz.


1974 
Janeiro, 1 
 

 
MFA. Represálias.
Os capitães Vasco Lourenço, Carlos Clemente, Antero Ribeiro da Silva e David Martelo tomam conhecimento oficial do despacho ministerial que ordena a sua transferência de unidade. Os dois primeiros devem seguir para o Comando Territorial Independente dos Açores; o terceiro para o Comando Territorial Independente da Madeira; o último, para o Batalhão de Caçadores 3, em Bragança.


1974 
Março, 8 
 

 
MFA. Reuniões.
Reunião da Comissão Coordenadora, em casa de Luís Macedo, alargada a outros elementos do Exército e representantes da Marinha e da Força Aérea. Forma-se uma Comissão Política do Movimento, constituída por Vítor Alves, Almada Contreiras, Vasco Gonçalves e Costa Brás. Como reacção às transferências compulsivas foi decidido sequestrar dois dos militares transferidos, evitando que se cumprissem as ordens ministeriais, e realizar, pelas 16 horas do dia seguinte, uma manifestação de protesto de oficiais junto ao Ministério do Exército. Dado o estado de prevenção em que entraram as unidades, esta manifestação não chegou a realizar-se.


1974 
Março, 8 
 

 
MFA. Represálias.
Pinto Soares acompanha, em nome do Movimento, os dois oficiais sequestrados, Vasco Lourenço e Ribeiro da Silva, ao Quartel General da Região Militar de Lisboa, tentando obter com a sua entrega a anulação dos despachos de transferência. Em resultado desta operação ficam os três presos no Forte da Trafaria.


1974 
Março, 9 
 

 
MFA. Represálias.
Embarque de Vasco Lourenço para Ponta Delgada e de Ribeiro da Silva para o Funchal


1974 
Março, 15 
 

 
MFA. Represálias.
Cerco da Academia Militar por forças da GNR, levando à prisão de alguns elementos do Movimento.


1974 
Março, 16 
 

 
Melo Antunes.
Partida de Melo Antunes para os Açores, para onde foi transferido a seu pedido. Este pedido tinha sido solicitado muito antes do início do Movimento, sendo desencadeado neste momento para o afastar do centro das reuniões.


1974 
Março, 23 
 


25 de Novembro de 2014
 

HOME  LINKS  CONTACTOS  

© 2006, Zeppelin Filmes, Lda.
Desenvolvimento: Prodigentia