Tópicos
    MOV.CAPITÃES / MFA - CONSPIRAÇÃO / Reuniões
     Períodos
Galeria Multi Média
 
 
Movimento dos Capitães.
Primeiro acto de contestação ao Decreto-Lei 353/73


1973 
Julho, 17 
 

 
Movimento dos Capitães. Guiné.
Reune-se pela primeira vez em Bissau um núcleo de oficiais que seria o embrião do MFA Guiné.


1973 
Julho, 29 
 

 
Movimento dos Capitães.
Primeira reunião que levaria à criação do "Movimento dos Capitães".


1973 
Agosto, 21 
 

 
Panfletos Milicianos.
Como reacção às muitas exposições e a todo o movimento anti Decreto-Lei 353/73, que se gerou, surgem dois panfletos da autoria de oficias do Quadro Permanente, oriundos dos Quadros do Complemento (portanto beneficiados pelo referido Decreto-Lei 353/73. Enquanto o primeiro "Estagnação ou Progresso?" rapidamente foi esquecido. O segundo "Dos Espúrios aos Puros" criou uma "classificação" dos oficiais que se imporia e viria ser utilizados por todos (Espúrios - Puros).


1973 
Setembro, 1 
 

 
Reunião Casa Diniz de Almeida,
Presentes Ponces de Carvalho, Sousa e Castro, Bicho Beatriz, Vasco Lourenço, Rosário Simões, Marques Júnior, Carlos Camilo e Diniz de Almeida. Ultimam-se preparativos para uma reunião alargada em Évora.


1973 
Setembro, 7 
 

 
Reunião Guiné.
Defende-se a institucionalização do Movimento.


1973 
Setembro, 7 
 

 
Reunião de Évora.
Em Monte Sobral, Alcáçovas, numa herdade, 136 capitães assinam um documento dirigido ao Presidente do Conselho, com conhecimento ao Presidente da República, para posteriormente ser posto a circular para recolha de assinaturas.


1973 
Setembro, 9 
 

 
Ligação à Marinha
São iniciados os primeiros contactos com a Marinha. O Cap.Ten. Costa Correia será o primeiro representante. A partir daqui haverá um relacionamento estreito. Os contactos regulares ficarão a cargo de Costa Correia e Almada Contreiras pela Marinha e a cargo dos Majores Hugo dos Santos e Victor Alves pelo Exército. O Movimento na Marinha ainda designa para a ligação o 1.º Ten. Vidal Pinho e o 2.º Ten. Pedro Lauret. Mais tarde irá juntar-se a este grupo o Cap.Ten. Vítor Crespo.


1973 
Outubro, 1 
 

 
Movimento dos Capitães.
Reunião do Movimento dos Capitães em Lisboa, com a presença de um representante de Angola e em que se sugere a rotação dos elementos pertencentes à comissão representativa.


1973 
Outubro, 3 
 

 
Movimento dos Capitães. Reuniões.
Reunião quadripartida do Movimento nas casas dos Capitães Rui Rodrigues, Mendonça Frazão, Ribeiro da Silva e Diniz de Almeida. Estão presentes delegados da quase totalidade das unidades e estabelecimentos militares, bem como da oficialidade em serviço em Angola, Moçambique e Guiné. Presentes ainda, pela primeira vez e como observadores, representantes da Marinha e da Força Aérea. Pela Marinha estão presentes o Costa Correia, Almada Contreiras, Vidal Pinho, Pedro Lauret. A discussão arrasta-se durante toda a noite e madrugada, com grande número de intervenções, perante as quatro alternativas então apresentadas: I. Pedir colectivamente a demissão de oficial do Exército. 2. Ausentar-se do Serviço, mantendo-se fora do aquartelamento. 3. Permanecer no Quartel ou Estabelecimento sem desempenhar quaisquer funções. 4. Fazer, colectivamente, uso da força. Tendo vencido a primeira alternativa, redigem-se dois documentos sem data (um apresentado colectivamente e outro individualmente), entregues à Comissão do Movimento que os guardaria com vista a posterior utilização, o que nunca se verificou visto que os decretos não entraram em vigor. É elaborado um boletim informativo pela Comissão do Movimento.


1973 
Outubro, 6 
 

 
Movimento dos Capitães. Comissões.
Reunião do Movimento dos Capitães, tendo-se constituído uma comissão coordenadora e mais três comissões - consultiva, de ligação e ultramarina.


1973 
Outubro, 7 
 

 
Movimento dos Capitães. Guiné.
Reuniões, do Movimento dos Capitães em Bissau, decidindo-se prosseguir com a mobilização dos oficiais, apesar da suspensão dos decretos.


1973 
Outubro, 18 
 

 
Movimento dos Capitães.
Reunião alargada dos oficiais oriundos de milicianos em Porto de Mós, em que foi eleita uma comissão do respectivo movimento.


1973 
Novembro, 4 
 

 
Movimento dos Capitães.
Reunião do Movimento dos Capitães, em que se acentua o conflito existente no seu interior.


1973 
Novembro, 10 
 

 
Reunião da Comissão Coordenadora em Aveiras de Cima.
Agudizam-se os conflitos no seio da Comissão: por um lado, Mariz Femandes e Sanches Osório, visando a solução de problemas profissionais na mais estrita legalidade, por outro, Vasco Lourenço e Diniz de Almeida, defendendo o avanço qualitativo do Movimento, sem exclusão de qualquer hipótese. Tal facto leva à demissão da Comissão Coordenadora, a qual se passa a considerar em funções apenas até à eleição, pela Comissão Consultiva, de uma nova Comissão Coordenadora.


1973 
Novembro, 12 
 

 
Tentativa Golpe Kaulza.
Reunião do Movimento em casa de Salgueiro Maia, em Santarém. Sousa e Castro, Freire Nogueira e Rosado da Luz referem os contactos estabelecidos com o coronel Frade Júnior, amigo do general Kaúlza de Arriaga, em que este último procura obter o apoio do Movimento para o seu projecto de tomada do poder.


1973 
Novembro, 15 
 

 
Reunião da Casa da Cerca
Reunião do Movimento dos Capitães (alargada a tenentes-coronéis e outras patentes mais altas) na Casa da Cerca, em S. Pedro do Estoril. Participam 45 oficiais representantes das principais unidades do país. Inicia-se assim uma segunda fase do Movimento, marcadamente política. O tenente-coronel Luís Banazol faz uma intervenção ousada: «[ ... ] Não tenhamos ilusões: o governo só sai a tiro e os únicos capazes de o fazer somos nós, mais ninguém!».


1973 
Novembro, 24 
 

 
Tentativa Golpe Kaulza.
Henrique Troni, enviado por Kaúlza, fala com Hugo dos Santos, tentando convencê-lo da necessidade de apoiar o projecto de Kaúlza de Arriaga.


1973 
Novembro, 29 
 

 
Movimento dos Capitães.
Reunião de Óbidos do Movimento dos Capitães É eleita a comissão coordenadora.


1973 
Dezembro, 1 
 

 
Reunião alargada da Comissão Coordenadora na Costa da Caparica.
Presentes, além dos elementos da Comissão, Eurico Corvacho, Tomás Ferreira, Ataíde Banazol e Vasco Gonçalves. Trabalha-se a terceira hipótese saída da reunião de Óbidos. É aprovada por maioria uma proposta que consiste em «continuar a apresentar ao govemo reivindicações de carácter exclusivamente militar, e com a maior realidade, mas de natureza tal que o executivo não tenha possibilidades de as satisfazer, originando-se assim uma forma de pressão que, na melhor das hipóteses, leve à demissão do próprio governo, e, na pior, ao devido encaminhamento para a primeira hipótese». É eleita a direcção da Comissão Coordenadora, que irá manter-se até 25 de Abril. Constituem-na Vasco Lourenço (organização intema e ligações), Vítor Alves (orientação política) e Otelo Saraiva de Carvalho (secretariado). A eles ficam ainda associados Hugo dos Santos e Pinto Soares.


1973 
Dezembro, 5 
 

 
Reunião do Movimento dos Capitães na Parede, em que se define a organização das sub-comissões.



1973 
Dezembro, 9 
 

 
Tentativa Golpe Kaulza.
Reunião de oficiais do Movimento dos Capitães em Santarém, em que os páraquedistas tentam impor a chefia do movimento por Kaúlza de Arriaga.


1973 
Dezembro, 15 
 

 
Tentativa Golpe Kaulza.
Reunião de emergência de parte da C. C. do Movimento em casa de Hugo dos Santos. Está presente Avelar de Sousa, representante dos pára-quedistas, que não consegue esclarecer completamente o grau de envolvimento dos seus camaradas no projectado golpe de estado de Kaúlza de Arriaga.


1973 
Dezembro, 18 
 

 
Movimento dos Capitães. Comissões.
Reunião da Direcção da Comissão Coordenadora em casa de Vítor Alves. Decide-se devolver os pedidos de demissão aos respectivos signatários (ver 6 de Outubro de 1973).


1974 
Janeiro, 7 
 

 
Movimento dos Capitães. Força Aérea.
Uma «comissão provisória» da Força Aérea, constituída por Costa Neves, Palma e Vítor Sousa reúne, em casa de Pinto Soares, com a subcomissão de ligação do Movimento. Embora a reunião revestisse um carácter informativo, constituiu o primeiro passo para a entrada da Força Aérea no Movimento.


1974 
Janeiro, 8 
 

 
Reunião da Subcomissão de Ligação.
Reunião em casa de Vasco Lourenço, da subcomissão de ligação que definiu um sistema de ligações.


1974 
Janeiro, 10 
 

 
Reunião da Comissão Coordenadora.
Reunião de parte da Comissão Coordenadora em casa do major Fernandes da Mota. Estuda o funcionamento das várias subcomissões. É considerada prematura e utópica uma ligação com o general Costa Gomes. Define-se a necessidade de um documento base, a discutir por todos os ramos, sendo dado um prazo de duas semanas ao Secretariado para apresentação de um projecto a difundir por todos os oficiais.


1974 
Janeiro, 12 
 

 
Graves acontecimentos em Moçambique.
Assalto a uma fazenda de brancos e forte reacção dos fazendeiros e agricultores de Vila Pery. As manifestações da população prolongam-se por vários dias, atingindo a sua maior gravidade na noite de 17 para 18 de Janeiro, com insultos às Forças Armadas perante a passividade das forças policiais e a inoperância das autoridades civis e militares. Nestes acontecimentos verifica-se a implicação directa de Jorge Jardim, apoiado por elementos da PIDE/DGS.


1974 
Janeiro, 14 
 

 
Graves acontecimentos em Moçambique.
O funeral das vítimas dos ataques realizou-se em Manica congregando milhares de colonos, que se manifestaram junto do encarregado do Governo.


1974 
Janeiro, 16 
 

 
Graves acontecimentos em Moçambique.
Manifestação da população branca da zona centro de Moçambique, em especial na cidade da Beira, contra as Forças Armadas e os militares, com confrontos físicos e alguns feridos.


1974 
Janeiro, 17 
 

 
Graves acontecimentos em Moçambique.
Na cidade da Beira, capital do distrito ocorrem graves incidentes, na sequência dos acontecimentos dos dias anteriores. Foi recebida uma carta dos oficiais do Movimento em que no seu ponto 9 se relatam os acontecimentos.


1974 
Janeiro, 18 
 

 
Movimento dos Capitães.
Reunião alargada da Comissão Coordenadora em casa de Vasco Lourenço. É aprovado na generalidade um texto, elaborado por José Maria Azevedo, que serviria de introdução a um documento programático a ser aprovado numa reunião conjunta de oficiais do Movimento dos três ramos das Forças Armadas.


1974 
Janeiro, 26 
 

 
Movimento dos Capitães.
Reunião da comissão coordenadora do Movimento dos Capitães com a comissão dos oficiais ex-milicianos.


1974 
Março, 2 
 

 
Movimento dos Capitães. Força Aérea.
Reunião dos oficiais do movimento da Força Aérea, em que é preparado um documento programático.


1974 
Março, 2 
 

 
Movimento dos Capitães.
Reunião da Comissão Coordenadora em casa de Luís Macedo, preparatória do Plenário do dia seguinte. Decide-se enviar Vasco Lourenço e Otelo Saraiva de Carvalho a um encontro com António de Spínola, procurando obter informações sobre o sentido da anunciada comunicação de Marcelo Caetano à Assembleia Nacional, no dia seguinte.


1974 
Março, 4 
 

 
Movimento dos Capitães. Reunião de Cascais.
Plenário de Cascais do Movimento de Oficiais das Forças Armadas, em que é aprovado o documento "o Movimento, as Forças Armadas e a Nação».


1974 
Março, 5 
 

 
Reunião Oficiais de Marinha.
Reunião no Clube Militar Naval de 130 oficiais da Armada, que se solidarizam esmagadoramente com os oficiais do Exército presos.


1974 
Março, 13 
 


23 de Novembro de 2014
 

HOME  LINKS  CONTACTOS  

© 2006, Zeppelin Filmes, Lda.
Desenvolvimento: Prodigentia