Tópicos
    ESTADO NOVO / Todos [De 1973-01-01 a 1974-04-24]
     Períodos
Galeria Multi Média
 
 
Eleições para a Assembleia Nacional.
No decorrer de todo o ano de 1973 foi lançada uma campanha de recenseamento eleitoral para as eleições para a Assembleia Nacional. Foram criadas comissões pró-recenseamento quer anível local quer por dinamização sindical e outras.


1973 
Janeiro, 1 
 

 
Fracturas no Regime.
Os deputados Francisco Sá Carneiro e Miller Guerra, da Ala Liberal, fazem uma primeira intervenção na Assembleia Nacional condenando a atitude das autoridades no Caso da Capela do Rato. (Marcelismo)


1973 
Janeiro, 16 
 

 
Lutas Estudantis.
Decreto-Lei 18/73. O ministro da Educação, Veiga Simão cria a categoria de vigilantes (gorilas) no quadro do pessoal auxiliar dos estabelecimentos de Ensino Superior. Este pessoal era destinado a reforçar o controlo policial sobre as actividades académicas. Inicia-se um processo de luta que junta alunos e professores, até que em Maio o Ministro da Educação cede e ordena a retirada dos vigilantes.


1973 
Janeiro, 17 
 

 
Movimentos Revolucionários.
A LUAR distribui um comunicado anunciando a prisão, em França, de Palma Inácio. Libertado no mês seguinte, a polícia francesa alega insuficiência de provas. (Luta Armada)


1973 
Janeiro, 17 
 

 
Movimentos de Libertação.
O líder do PAIGC, Amílcar Cabral, é assassinado em Conackry, num atentado levado a cabo por guineenses dissidentes do PAIGC. O governo português atribuiu a responsabilidade desta acção ao Presidente da Guiné-Conackry, Sekou Touré, enquanto que para o PAIGC se tratou de uma acção concebida pela PIDE/DGS ou pelo governador da Guiné, António de Spínola.


1973 
Janeiro, 20 
 

 
Fracturas no Regime.
Francisco Sá Carneiro renuncia ao seu mandato de deputado (Ala Liberal), afirmando: não poder prosseguir sem quebra da sua dignidade pessoal. Uma semana depois, alegando idênticas razões, demite-se Miller Guerra. Foi o último acto do fim da liberalização do Marcelismo.


1973 
Janeiro, 25 
 

 
Presos Políticos.
Editada e distribuida a Circular n.o 18 da Comissão Nacional de Socorro aos Presos Políticos - CNSPP


1973 
Fevereiro, 6 
 

 
Conversa em Família.
Marcelo Caetano. Conversa em familia. Conversa em familia Marcelo Caetano (Marcelismo)..


1973 
Março, 1 
 

 
Guerra Colonial. Guiné.
Carta de António de Spínola a Marcelo Caetano sobre a evolução da situação na Guiné e a necessidade de medidas de natureza política.


1973 
Março, 6 
 

 
Movimentos Revolucionários.
Em 9 e 10 de Março as Brigadas Revolucionárias (BR) levam a cabo acções de sabotagem, visando instalações militares de Lisboa: Distrito de Recrutamento e Mobilização (DRM) nº 1, Serviços do Quartel Mestre General e Serviços Mecanográficos do Exército. (Luta Armada)


1973 
Março, 9 
 

 
Movimentos Revolucionários.
Assalto ao Serviço Cartográfico do Exército para roubo de cartas militares de Angola, Moçambique e Guiné-Bissau, destinadas aos movimentos de libertação. (Luta Armada)


1973 
Abril, 6 
 

 
Movimentos Revolucionários.
Novas acções das Brigadas Revolucionárias: rebentamento de petardos por todo o país e distribuição de comunicados incitando à greve no 1° de Maio. (Luta Armada)


1973 
Abril, 6 
 

 
Partidos Clandestinos.
Numa reunião da Acção Socialista Portuguesa (ASP), realizada perto de Bona, é fundado o Partido Socialista. Entre os fundadores encontram-se Mário Soares, Maria Barroso, Tito de Morais, Raul Rego, Rui Mateus, António Arnaut e Jorge Campinos.


1973 
Abril, 19 
 

 
Movimentos Laborais.
À semelhança de anos anteriores, e receando manifestações por altura do 1° de Maio, a Direcção Geral de Segurança (DGS) efectua dezenas de prisões.


1973 
Abril, 30 
 

 
Movimentos Revolucionários.
As Brigadas Revolucionárias levam a cabo várias acções: atentados à bomba e destruição parcial do 4° e 5° pisos do Ministério das Corporações e Providência Social, em Lisboa. (Luta Armada)


1973 
Maio, 1 
 

 
Movimentos Revolucionários.
Em comunicado, a ARA - Acção Revolucionária Armada, com ligações ao PCP, suspende temporariamnete as suas acções, face à dimensão do movimento político então em curso no país. (Luta Armada)


1973 
Maio, 1 
 

 
Estado Novo. Partido Único.
Realiza-se o Congresso da Acção Nacional Popular (A.N.P.) em Tomar, no qual o vice-presidente da Comissão Central, Baltasar Rebelo de Sousa, falou do «pluralismo cívico», num momento em que o regime estava completamente fechado e o partido único mais esclerosado do que nunca e o mito da liberalização do Marcelismo desfeito. Este foi o primeiro acto de uma ampla campanha de plenários distritais da A.N.P.Faro, Coimbra, Leiria, Viana do Castelo, Braga, Setúbal, Beja) com o objectivo de preparar as últimas eleições da ditadura, que tiveram lugar em Outubro de 1973. (JSC)


1973 
Maio, 3 
 

 
Presos Políticos.
É divulgada a Circular n.º 19 da CNSPP. O aumento da repressão foi enorme desde o início do ano de 1973. As lutas laborais e estudantis, o Congresso da Oposição e o 1.º de Maio foram pretextos para a onda repressiva. Em Abril, entre muitos outros, são presos o cantor José Afonso e o Padre Mário de Oliveira. (PIDE/DGS)


1973 
Maio, 9 
 

 
Estado Novo.
De 1 a 3 de Junho realiza-se no Porto o « 1.º Congresso dos Combatentes do Ultramar». O poder político pretendia com este Congresso aprovar o conceito de que a solução para a Guerra Colonial era militar logo seria necessário reforçar o esforço de guerra. A contestação aos objectivos pretendidos deve ser considerado como o lançamento da conspiração que levou ao 25 de Abril.


1973 
Junho, 1 
 

 
Estado Novo - Congresso dos Combatentes.
Realizaram-se várias iniciativas no âmbito do Congresso entre elas uma Missa e um almoço de ex-combatentes.


1973 
Junho, 2 
 

 
Movimentações Laborais.
Foi libertado o antigo dirigente do Sindicato dos Bancários, Daniel Cabrita. Alguns incidentes marcaram a libertação.


1973 
Junho, 30 
 

 
Visita Marcelo Caetano a Londres.
Nas vesperas da chegada de Marcelo Caetano a Londres a imprensa Britânica reflete o mal estar provocado pela visita. A politica Africana de Portugal está no centro dos debates. A contestação também tem reflexos no Parlamento Brtitânico. As noticias sobre os massacres em Moçambique viriam ainda agravar a contestação.(Marcelismo)


1973 
Julho, 9 
 

 
Visita Marcelo Caetano a Londres.
Início da visita oficial de Marcelo Caetano a Inglaterra, onde é recebido com manifestações de protesto.(Marcelismo)


1973 
Julho, 16 
 

 
Forças Armadas. Exonerações.
Kaúlza de Arriaga deixa funções em Moçambique. O General Kaúlza de Arriaga abandona o cargo de Comando-Chefe das Forças Armadas de Moçambique.


1973 
Agosto, 1 
 

 
Forças Armadas. Exonerações.
António de Spinola deixa funções na Guiné. Regresso do general António de Spínola a Portugal, de licença deixando as funções de Governador e Comandante-Chefe. O regresso viria a ser definitivo, verificando-se a sua substituição, em Setembro pelo General Bettencourt Rodrigues.


1973 
Agosto, 6 
 

 
Encontro Cunhal Soares.
Realiza-se em Paris, após uma primeira reunião em Junho, importante encontro entre os dirigidentes do PCP e PS, Álvaro Cunhal e Mário Soares, em que ficou decidido concorrer em listas únicas às eleições para a Assembleia Nacional. Por todo o País são preparadas listas conjuntas. Divulgam um comunicado conjunto em que se defende «o fim da guerra colonial e negociações com vista à independência completa e imediata dos povos de Angola, Guiné-Bissau e Moçambique».


1973 
Setembro, 1 
 

 
Partidos Clandestinos.
Em Setembro de 1973 É fundado o Partido Revolucionário do Proletariado (PRP). (Luta Armada)


1973 
Setembro, 1 
 

 
Encontro de Generais.
Encontro dos generais António de Spínola, Venâncio Deslandes e Kaúlza de Arriaga, durante o qual é levantada a hipótese da substituição de Marcelo Caetano.


1973 
Setembro, 14 
 

 
Independência da Guiné-Bissau
Proclamação unilateral da independência da Guiné-Bissau feita pelo PAIGC, em Madina do Boé, no interior do território. Num curto curto prazo de tempo, 86 países, mais do que aqueles com quem Portugal mantinha, na época, relações diplomáticas, reconhecem o novo Estado.


1973 
Setembro, 24 
 

 
Eleições Legislativas.
Realizam-se eleições legislativas para a Assembleia Nacional. O PCP e o PS estão coligados nas listas apresentadas pelo Movimento Democrático, mas a Oposição Democrática desiste antes do acto eleitoral alegando «inexistência de garantias mínimas de seriedade».


1973 
Outubro, 28 
 

 
Remodelação Ministerial.
Remodelação ministerial no governo de Marcelo Caetano: Sá Viana Rebelo e Alberty Correia são exonerados e substituídos, respectivamente, por Silva Cunha, no Ministério da Defesa, e por Andrade e Silva, no Ministério do Exército, A chefia do Ministério do Ultramar passa para Baltasar Rebelo de Sousa. Viana de Lemos assume a pasta de Subsecretário de Estado do Exército.


1973 
Novembro, 7 
 

 
Orçamento Geral do Estado.
O Conselho de Ministros aprova o Orçamento Geral do Estado para 1974, assim como aumentos substanciais nos vencimentos do pessoal das Forças Armadas, especialmente oficiais. O posto de capitão é o que tem um aumento maior.


1973 
Dezembro, 28 
 

 
Portugal e o Futuro.
Portugal e o Futuro - António de Spínola entrega um exemplar do seu livro, Portugal e o Futuro, com dedicatória a Marcelo Caetano.


1974 
Fevereiro, 18 
 

 
Chefes Militares.
Marcelo Caetano convoca os generais Costa Gomes e António de Spínola para uma reunião a 22 , em que são convidados a tomar o poder.


1974 
Fevereiro, 21 
 

 
Portugal e o Futuro.
António de Spínola publica o livro Portugal e o Futuro. Nele se afirma: jamais a essência da Nação, a segurança física e o bem-estar material e social de tantos dos seus cidadãos estiveram em tão grave risco como o estão no presente». Venderam-se. em poucos meses. cerca de trezentos e cinquenta mil exemplares


1974 
Fevereiro, 22 
 

 
Estado Novo. Fracturas.
Marcelo Caetano apresenta pedido de demissão a Américo Tomás.


1974 
Fevereiro, 28 
 

 
Brigada do Reumático.
Cerimónia de solidariedade com o regime, levada a cabo por oficiais-generais dos três ramos das Forças Armadas, que ficou conhecida por «Brigada do Reumático». Marcelo Caetano afirmou em agradecimento: «O país está seguro de que conta com as suas Forças Armadas e em todos os escalões destas não poderão restar dúvidas acerca da atitude dos seus comandos».


1974 
Março, 14 
 

 
Conversa em Família.
Marcelo Caetano, na sua última «Conversa em Família», assume um tom premonitório: «Fica-me a tranquilidade de ter sempre procurado cumprir rectamente o meu dever para com o país».


1974 
Março, 28 
 

 
Benfica Sporting.
Marcelo Caetano assiste ao desafio de futebol Benfica Sporting. No seu livro Depoimento, publicado em 1978, afirma a propósito: «Quando o alto-falante anunciou que eu me achava no camarote principal, a assistência, calculada em 80.000 espectadores, como movida por uma mola, consagrou-me demorada ovação ( ... ) e as informações que chegavam ao Governo também garantiam sossego geral e apoio ao regime


1974 
Março, 31 
 

 
Movimentos revolucionários.
Rebenta um engenho explosivo colocado pelas Brigadas Revolucionárias no navio Cunene, que se preparava para partir para África.


1974 
Abril, 4 
 

 
NATO.
Em Megeve (França), na reunião anual do Clube de Bilderberg - clube em que tomam assento os mais influentes representantes da alta finança mundial -, está presente, entre outros, Joseph Luns, secretário-geral da NATO. T er-se-á tomado conhecimento da iminência de alterações políticas em Portugal e decidido não contrariar a evolução dos acontecimentos, crendo que a mudança política poderia conduzir ao liberalismo económico. A presença de Luns nessa reunião poderá ter determinado o comportamento da NATO no «desenrolar do golpe militar de Lisboa».


1974 
Abril, 19 
 


24 de Abril de 2014
 

HOME  LINKS  CONTACTOS  

© 2006, Zeppelin Filmes, Lda.
Desenvolvimento: Prodigentia