Tópicos
Galeria Multi Média
    As Acções do Dia 25 de Abril
Resultados da pesquisa por UNIDADE TEMA
 

03h30

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
O Comandante da PSP do Porto, Cor. Santos Júnior toma conhecimento da ocupação do Quartel General da Região Militar Norte. Comunicação imediata para o Comando da GNR.
 
 

04h00

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
O Gen. Edmundo da Luz Cunha telefona para o CEMGFA, seu irmão e para os Ministros do Exército, Marinha e Defesa e também para o Chefe de Esatdo Maior da Força Aérea, respectivamente General Andrade e Silva, Almirante Pereira Crespo, Dr. Silva Cunha e General Brilhante Paiva. A todos dá conhecimento da eclosão do Movimento.
 
 

04h15

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
O Comandante da Região Militar Norte, Gen. Martins Soares, tenta mobilizar os Comandantes dos RI8 e RI13 para avançar contra Quartel General da Região Militar do Norte sem sucesso, pois os Oficiais recusam-se a actuar contra o Movimento.
 
 

05h00

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
Apesar da a esta hora já vários responsáveis militares e governamentais estarem ao corrente do Movimento militar é Silva Pais (Director da PIDE/DGS) que telefona ao Presidente do Conselho Marcelo Caetano informando: "Senhor Presidente, a Revolução está na rua! O caso é muito grave. Os revoltosos ocuparam já as principais emissoras de rádio e a Televisão e tomaram o Quartel General da Região Militar de Lisboa. Caçadores 5 está com eles. " Pouco depois em novo telefonema Silva Pais recomenda: "É indispensável que V.Exa. saia de casa com a maior urgência. Vá para o quartel do Carmo que a GNR está fixe."
 
 

05h27

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
Intercepção de Comunicações (EPT) O Ministro do Exército, dá ordem ao Regimento de Infantaria 6, para cortar todas as ligações ao Porto. A ordem não viria a ser cumprida pelo Comandante, Cor. Passos Esmoriz que viria a assumir o cargo de Comandante da Região Militar do Norte à ordem do MFA.
 
 

06h00

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
O Presidente do Conselho acompanhado pelo seu adjunto militar Comandante Coutinho Lanhoso entram no Quartel da GNR no Largo do Carmo, onde são recebidos pelo comandante Geral da GNR, General Adriano Pires.
 
 

06h30

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME - QUARTEL DO CARMO.
Juntam-se ao Prof. Marcelo Caetano, Dr. César Moreira Baptista e Alm. Henrique Tenreiro. Tomam-se posições de contra-ataque. É chamado o 2.º Comandante da RML, Brigadeiro Junqueira dos Reis para comandar as Forças Governamentais.
 
 

07h45

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
São dadas instruções para o corte da energia eléctrica ao Rádio Clube e antenas de Porto Alto no sentido de interromper a emissão.
 
 

08h30

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
O Ministro do Exército vendo a ocupação do Terreiro do Paço ordena a abertura, à picareta, de uma parede de tijolo que dava par o Ministério da Marinha. Aí conjuntamente com o Ministro da Marinha e outras entidades fogem, dirigindo-se para o parque de estacionamento da Marinha entrando para uma carrinha que os irá conduzir ao RL2.

Ministros fogem pelo buraco.
 
 

09h50

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
O Chefe do Estado Maior da Armada, Alm. Ferreira de Almeida, contacta o Cap.Ten. Alpoim Calvão, comandante da Polícia Marítma do Porto de Lisboa,no sentido de analisar a hipótese de interromper a emissão do Rádio Clube Português. Alpoim Calvão recomenda o bombardeamento das antenas de Porto Salvo com morteiro de 81. Como as estradas e antenas já estavam ocupadas pelo Movimento, sugere fazer deslocar uma equipa, subindo o Tejo numa lancha da Policia Maritima. Alpoim Calvão fica à espera da disponibilização do morteiro, o que nunca veio a acontecer.
 
 

13h00

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
São dadas ordens pelo Posto de Comando das forças do regime, em Lanceiros 2, para o conjunto de forças ainda disponiveis tentarem um cerco às forças de Salgueiro Maia no Largo do Carmo. As forças desfalcadas de Cavalaria 7 comandadas pelo Brig. Junqueira dos Reis vai ocupar posições no Largo de Camões. Forças da GNR vão ocupar posições no Largo da Misericordia e Rua Nova da Trindade. Uma companhia da Polícia de Choque ocupa posições no Largo do Chiado.

Comunicações da GNR

Comunicações da GNR
 
 

14h00

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
Após a entrada em cena do RC3 as forças do regime que tentavam o cerco à EPC no Largo do Carmo desmobilizam. A GNR reagrupa no Largo da Misericórdia e recolhe a quartéis. O Brigadeiro Junqueira dos Reis abandona. Parte do pessoal do RC7 adere ao Movimento colocando-se à disposição do RC3.

Manifestação Popular Contra o Regime
 
 

14h00

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
O Dr. Pedro Pinto, Secretário de Estado da Informação e Turismo, apercebera-se da inevitabilidade da queda do regime. Resolve assumir a mediação entre o Governo e o General Spínola. O Dr. Nuno Távora, Chefe de Gabinete do Dr. Pedro Pinto desloca-se a casa do General António de Spinola entregando-lhe uma carta do Secretário de Estado. O Dr. Pedro Pinto, Secretário de Estado da Informação e Turismo, apercebera-se da inevitabilidade da queda do regime. Resolve assumir a mediação entre o Governo e o Gen. Spínola.. O General António de Spinola afirma nada ter a ver com o Movimento e que nunca levantaria armas contra o Governo, e que este deveria ter o bom senso de encontrar uma solução para o problema e evitar um banho de sangue. O General informa ainda que se o Governo entender resolver o problema pacificamente ele estaria na disposição de assumir o poder.
 
 

15h00

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
O Dr. Nuno Távora após as conversações com o General Spínola passa pelo Palácio Foz, onde se encontrava o Director Nacional da Informação, Dr. Pedro Feytor Pinto, deslocando-se ambos para o Grémio Literário para reunirem com o Secretário de Estado da Informação, Dr. Pedro Pinto. O Dr. Nuno Távora informa da disponibilidade do Gen. Spínola de assumir o poder, caso o Prof. Caetano resignasse. O Dr. Pedro Pinto escreve uma mensagem ao Prof. Marcelo Caetano.
 
 

15h30

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
Nos dois pontos de decisão do regime o desânimo começa a instalar-se. No Quartel do Carmo o efeito psicológico da abertura de fogo pelas forças de Salgueiro Maia foi enorme. Há gritos e correrias no interior do quartel. O Prof. Marcelo Caetano já tem conhecimento que as forças comamandadas pelo Brig. Junqueira dos Reis estavam desfeitas e que no RL2 além do Comandante, 2.º Comandante e Major Cruz Azevedo, que se mantinham leais, os Capitães, Subalternos e Praças da unidade assumiam posições hostis ao Regime.
 
 

15h30

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
Um helicoptero pousa no RL2 levando os Ministros da Defesa e do Exército para Monsanto. Este helicóptero só não transportou também o Prof. Marcelo Caetano porque no Quartel do Carmo não havia local onde pudesse aterrar.

Helicóptero transporta Ministros para Monsanto
 
 

16h05

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
O Dr. Nuno Távora e o Dr. Feytor Pinto são recebidos pelo Prof. Marcelo Caetano. Nuno Távora informa o ainda Presidente do Conselho da disponibilidade do Gen. Spínola para aceitar a sua rendição e assumir o poder. Marcelo Caetano encontrava-se acompanhado pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Patricio e o seu Adjunto Militar, Comandante Coutinho Lanhoso. Marcelo Caetano decide pela sua rendição desabafando: "assim o poder não cai na rua". É redigida, pelo punho do Comandante Lanhoso a seguinte mensagem: "O Presidente do Conselho está pronto a entregar o Governo ao General António de Spínola, e espera-o, para tal fim, no Quartel do Carmo"

Feytor Pinto dialoga com Salgueiro Maia
 
 

16h35

ABRIL, 25
1974

FORÇAS DO REGIME.
O Dr. Nuno Távora e o Dr. Feytor Pinto são recebidos pelo Gen. Spínola que perante o documento que lhe é entregue afirma não reconhecer a letra do Presidente do Conselho. O telefone toca. O Prof. Marcelo Caetano deseja falar com o Gen. Spínola. Marcelo Caetano confessa a sua derrota ao estar cercado por uma força de blindados e por uma multidão ululante. Afirma que ao render-se o queria fazer perante alguém que pudesse garantir a ordem pública. Não desejaria render-se a um capitão. Pede a Spínola para vir assumir o poder. Spínola mais uma vez reafirma que nada tem a ver com o Movimento. Marcelo Caetano mais uma vez lhe pede para vir quanto antes.
 

27 de Novembro de 2014
 

HOME  LINKS  CONTACTOS  

© 2006, Zeppelin Filmes, Lda.
Desenvolvimento: Prodigentia